até que um choque asteróide

...abrevie a humana demência
https://solstag.blogspot.com/
 

Quem será?


Quem vem aí, você, na outra ponta da estrada?
Poesia de prata, refletindo nossa angústia.
Poesia de ferro, cortando nossa esperança.
Poesia do sangue que corre em nossa alma.

Quem vai lá, quem somos do outro lado do espelho?
Poesia de fogo, atiçando nossa euforia.
Poesia de água, refrescando nossa ressaca.
Poesia do sangue que lava nossa alma.

Quem corre conosco quando saímos para descer o abismo?
Poesia de pedra, avalanche sobre o corpo.
Poesia de vento, atirando-nos em precipícios.
Poesia do sangue que liberta nossa alma.



Reflexos:
eu ia comentar bonitinho, mas desisti.

:p

 
poesia do sangue que inunda nossa alma... :)

(ideia de noite paulistana :P)

 
esse teu poema de sangue me levou de volta prum lugar que estive nesses dias, escrevi esse pra tentar compartilhar um pouco dum céu estrelado que vi por lá.

http://colunaecletica.wordpress.com/2011/01/08/de-sangue-e-de-sonhos/

 
Postar um comentário

<< Home

Museu de Grandes Novidades

Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Julho 2006   Maio 2007   Junho 2007   Agosto 2007   Outubro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Maio 2008   Junho 2008   Outubro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Abril 2009   Julho 2009   Outubro 2009   Dezembro 2009   Fevereiro 2010   Setembro 2010   Janeiro 2011   Abril 2011   Julho 2011   Agosto 2011   Outubro 2011   Fevereiro 2012   Abril 2012   Setembro 2012   Novembro 2012   Fevereiro 2013   Maio 2013   Março 2015   Setembro 2015   Dezembro 2015  

This page is powered by Blogger. Isn't yours?